quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Rosa Esperança em Estarreja


É já no próximo sábado que o Rosa Esperança vai estar em Estarreja.


Não percam.


21h30m no Cine Teatro.


Informações e Reservas:
234 811 300 e 92 565 16 68 ou www.cineteatroestarreja.com
Gigi

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

A pior noite da minha vida


As coisas acontecem quando menos esperamos, mas isso eu já sabia.
De um momento para o outro, as coisas mudam e ficamos com uma sensação de impotência brutal.
Foi o que aconteceu quando fiquei doente.
Ontem senti a mesma coisa, mas por um motivo totalmente diferente.
Todas as noites levamos a Matilda à rua para fazer o seu xixi. Normalmente quem a leva até é o João. Mas como o João tem estado engripado, quem a tem levado sou eu.
Como se lembram ontem estava um nevoeiro imenso. E por voltas das 21h lá fui eu com a Matilda fazer o passeio nocturno.
Chegámos a relvinha dela e como sempre a soltei para que ela pudesse fazer o xixi dela à vontade. De repente, vindo do nada aparece um cão, ainda maior que ela e começa a correr na direcção dela.
A tonta da bicha assusta-se e começa a correr à frente dele, totalmente desorientada. Num segundo, deixei de a ver e entrei em pânico.
Corri na direcção onde a tinha visto desaparecer e nada.
Chamei por ela, assobiei e nada. Telefonei imediatamente ao João para me vir ajudar e durante mais de 2o minutos percorremos, em separado, toda a nossa zona, todos os sítios por onde costumamos andar com ela.
Liguei à minha mãe para ver se ela podia nos ajudar e ela decidiu ir para a nossa porta não fosse a Matilda dar com a casa.
telefonei para a PSP a participar o desaparecimento dela, e a pedir que se tivessem alguma informação que me avisassem. Lembrei que ela tinha ship. A minha preocupação maior é que ela fosse atropelada por causa do nevoeiro.
Estávamos desesperados. A pensar que ela é uma cadelinha habituada a estar em casa no quente e que é uma maricas e não gosta de estar sozinha.
Finalmente a minha mãe liga-me a dizer que a tinha encontrado perto da nossa casa e fui a correr ter com ela.
Ela estava bem, mas muito assustada e nós também. Estava com o meu coração tão apertado a pensar que talvez não a voltasse a ver. A minha companheira, que me acompanhou na doença nos últimos 4 anos. Nunca se importou se eu estava linda ou feia, se tinha cabelo ou estava careca. A única coisa que lhe interessava é que estivessemos juntas.
Escusado será dizer que toda esta aventura nocturna nos fez ficar doentes, e claro hoje estou em casa. Passei a noite com febre e dores de garganta.
Mas o que interessa é que estamos todos juntos e o susto já passou.
Gigi

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

A importância da psicologia para a qualidade de vida do doente oncológico ou aquilo que todas nós já sabiamos.

A importância da psicologia para a qualidade de vida do doente oncológico

A doença oncológica é uma das situações clínicas mais temidas actualmente, quer pelo risco de sofrimento e mortalidade que pode implicar, quer pela perturbação psicológica e emocional que gera. Dados recentemente publicados revelam que o cancro é a segunda maior causa de morte em Portugal, sendo a incidência de 428 em 100.000 no sexo masculino e 289 em 100.000 no feminino.


Preocupados com este cenário de aumento do número de casos de cancro em Portugal e das implicações que acarreta ao nível psico-social, especialistas de várias áreas intervenientes na assistência aos doentes com cancro reúnem-se no 1º Congresso do Centro de Estudos em Psicologia Oncológica (CEPO) – Psicologia Oncológica na Prática Clínica – a ter lugar nos próximos dias 21 e 22 de Janeiro, no Hotel Ipanema Park, no Porto, avança comunicado de imprensa.


A Psico-oncologia agrupa os esforços de várias disciplinas (Medicina, Psicologia e Sociologia), visando proporcionar uma reflexão integradora e abrangente que ajude na compreensão e determinação de novas abordagens para a maior qualidade de vida do doente oncológico.


A realização deste 1º Congresso do CEPO – que tem como público-alvo Psicólogos, Médicos Oncologistas, Médicos de Medicina Geral e Familiar, Psiquiatras, Enfermeiros, Fisioterapeutas, Nutricionistas, Assistentes Sociais e demais profissionais que actuam na investigação, na prevenção e tratamento do cancro – pretende ser uma oportunidade de aprofundar a discussão interdisciplinar de questões que envolvem a Psicologia e a Oncologia, numa busca constante pela melhoria da qualidade de vida do doente oncológico.


Importância do papel da psicoterapia


Se é verdade que alguns doentes revelam uma aceitação menos dramática à situação oncológica, também é verdade que, para muitos outros, a doença torna-se numa experiência desgastante e contínua de ansiedade, stress e depressão, não só para o próprio, mas também para a família e amigos.


A realização desta reunião, que conta com a parceria da Novartis Oncology, tem como objectivo consciencializar para a importância do papel da psicoterapia nos doentes oncológicos, demonstrando que a intervenção psicológica na vivência desta realidade contribui para o doente alcançar objectivos como a diminuição de níveis de depressão, ansiedade e stress, desenvolver um sentimento de optimismo, adquirir uma sensação de controlo e de auto-eficácia, entre outras competências que minimizem todo o processo pelo qual terá de passar.


Este congresso tem a Coordenação Científica da Dra. Luzia Travado, do Prof. João Paulo Pereira, da Profª Maria Graça Pereira e do Prof. José Paulo Almeida, e contará com a presença, entre outros, do bastonário da Ordem dos Psicólogos Portugueses Telmo Baptista, do Prof. Mário Simões, da Dra. Edna Gonçalves e do Prof. Rámon Báyes.

Portal POP http://www.pop.eu.com/news/3922/5/A-importancia-da-psicologia-para-a-qualidade-de-vida-do-doente-oncologico.html

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Muitos Parabéns.







Muitos parabéns ao aniversariantes, que a vida vos traga momentos muito felizes.
Beijocas grandes.
Gigi

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

As propriedades do chá verde


Chá verde ajuda na prevenção do cancro

Um estudo da Universidade de Newcastle, na Grã-Bretanha, indica que o chá verde pode proteger o cérebro de doenças como o Alzheimer e outros tipos de demência. O estudo, divulgado na publicação especializada Phytomedicine, também sugere que este produto pode ter um papel muito importante na protecção do corpo contra o cancro, avança o site noticioso da Globo, o G1.


Neste trabalho, os cientistas investigaram se as propriedades benéficas do chá verde, que já tinham sido comprovadas no chá recém-preparado e não digerido, ainda se mantinham activas uma vez que o chá fosse digerido.


"O que foi realmente animador neste estudo é que descobrimos que, quando o chá verde é digerido pelas enzimas do intestino, os compostos químicos resultantes são até mais eficazes contra gatilhos importantes do Alzheimer do que a forma não digerida do chá", disse Ed Okello, professor da Universidade de Newcastle que liderou o estudo.


"Além disso, também descobrimos que estes compostos digeridos tinham propriedades contra o cancro, desacelerando de forma significativa o crescimento de células do tumor que usámos nas nossas experiências”, explicou.


A equipa da Universidade de Newcastle trabalhou em conjunto com cientistas da Escócia, que desenvolveram uma tecnologia que simula o sistema digestivo humano. Graças a esta tecnologia, os investigadores conseguiram analisar as propriedades protectoras dos produtos da digestão do chá.


Protecção de células

Os cientistas usaram modelos de células de tumor, expondo-as a várias concentrações de diferentes toxinas e aos compostos do chá verde digerido.

"Os compostos químicos digeridos (do chá) protegeram as células (saudáveis), evitando que fossem destruídas pelas toxinas", disse Okello. "Também observámos que afectaram as células cancerosas, desacelerando de forma significativa o seu crescimento”, acrescentou o especialista.