quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Estádios da doença de Hodgkin

Antes de começar o tratamento, deve-se determinar até onde se propagou o linfoma (quer dizer, o estádio da doença). O exame superficial só pode detectar um gânglio linfático aumentado, mas os procedimentos de determinação do estádio detectam a doença que permanece oculta. A doença classifica-se em quatro estádios de acordo com a sua extensão e os sintomas presentes. A escolha do tratamento e as perspectivas para o doente dependem do estádio da doença. A possibilidade de recuperação completa é excelente para quem se encontra nos estádios I, II ou III e é superior a 50 % para os doentes no estádio IV.

Os quatro estádios subdividem-se, consoante a ausência (A) ou presença (B) de um ou mais dos seguintes sintomas: febre inexplicável (superior aos 37,7ºC durante 3 dias consecutivos), suores nocturnos e uma perda inexplicável de mais de 10 % do peso corporal durante os 6 meses anteriores. Por exemplo, um estádio pode ser descrito como IIA ou IIB.

Quando me foi diagnosticado o Linfoma, o meu estádio era IIA.

Utilizam-se vários procedimentos para determinar o estádio ou avaliar a doença de Hodgkin. A radiografia de tórax contribui para a identificação de gânglios aumentados perto do coração. As linfografias são radiografias que se realizam depois de uma pequena dose de corante (contraste), que se observa graças aos raios X (corante radiopaco), ter sido injectada nos vasos linfáticos do pé. O contraste dirige-se para os gânglios linfáticos do abdómen e da pelve, pondo-os em evidência. Em grande medida, a TAC do abdómen e da pelve substituiu este procedimento. A TAC é mais rápida e mais cómoda que a linfografia e, além disso, é capaz de detectar de forma precisa os gânglios linfáticos aumentados ou inclusive a disseminação do linfoma ao fígado e a outros órgãos.

O controlo com gálio é um procedimento alternativo para determinar o estádio da doença e efectuar o acompanhamento dos efeitos do tratamento. Injecta-se no sangue uma pequena dose de gálio radioactivo e entre 2 ou 4 dias mais tarde realiza-se um exame do organismo com um aparelho que detecta a radioactividade e que emite uma imagem dos órgãos internos (gamagrafia).

Por vezes é necessária uma intervenção cirúrgica para examinar o abdómen (laparotomia) e para determinar se o linfoma se expandiu até ali. Durante este procedimento, os cirurgiões muitas vezes extirpam o baço (esplenectomia) e fazem uma biopsia ao fígado para determinar se o linfoma se estendeu a estes órgãos. Só se realiza uma laparotomia quando a escolha do tratamento depende dos resultados da mesma (por exemplo, quando o médico precisa de saber se deve prescrever radioterapia ou quimioterapia ou ambas).

5 comentários:

Dinastia FilipiNHa disse...

Sempre a aprender... Não fazia ideia...

Beijocas

Nela disse...

Obrigada. Muitas beijocas

Filipa disse...

Bom fim-de-semana!

Beijoooooo

Dinastia FilipiNHa disse...

Bom dia!!!

Boa semaninha!

Beijocas

Flavio disse...

Boa noite, tenho um familiar que ta,bem lhe foi diagnosticado doença de hodgkin pois tinha um tumor no pescoço do lado direito o probelam é que ja tinha aquilo ha cerca de um ano um ano e pouco so que era uma coisa que mal se notava, depois aumentou moderadamente e foi quando se resolveu ir-! tenho imenso medo que esse tempo tenha feito com que a doença progredisse para outros locais e ja nao haja nada a fazer! e mesmo que haja tenho medo igual de perder essa pessoa nao durmo mal como, nao falo nada rigorosamente!
O seu estadio era IIA que significa isso? mais uma coisa, se ja estiver no figado ou outro orgao as esperaças sao muito menos ou ja nada ha a fazer certo?
Uma pessoa disse-me que teve um familiar com isto e em 10 meses faleceu, pois a quimio nao resultou e entro em fase terminal e faleceu ...

tenho tanto medo!